Wednesday, March 17, 2010

Da Origem da Internet à Web 1.0

Internet pode ser definida como um sistema à escala mundial que interliga redes e computadores ou, numa perspectiva mais técnica, uma rede que interliga diferentes redes e computadores que comunicam usando os protocolos TCP/IP. Nos meios relacionados com a Internet, a sua origem é atribuída a um projecto de natureza militar desenvolvido com o objectivo de criar uma rede de comunicação com capacidade de resistir a um ataque nuclear. Esta teoria é contrariada por algumas fontes, mas é consensual a existência de uma rede designadada por ARPANET (Advanced Research Projects Agency Network) criada por um um organismo ligado ao departamento de defesa norte-americano em 1969. Esta primeira rede interligava originalmente quatro nós. A rede cresceu integrando nós em diversas universidades norte-americanas e institutos de investigação.

O símbolo @, associado ao serviço de correio electrónico, passou a ser usado a partir de 1972. Os protocolos TCP/IP (Transfer Control Protocol / Internet Protocol) surgem em 1974. Por volta desta altura a rede passa a ser designada por Internet Nos anos seguintes são desenvolvidos diversos outros protocolos como o DNS (Domain Name System) de 1984.

Nos anos 80 do século XX surgem os primeiros computadores pessoais e, mais tarde, os modems. A comunicação em rede era restrita, a informação circulava em formato de texto ou em formato binário e os utilizadores existiam sobretudo no meio académico dos EUA. O correio electrónico começa a ganhar popularidade entre estes utilizadores. No final da década de 80,o número de países com ligação à Internet aumenta podendo-se começar a falar numa rede à escala mundial.

A grande explosão da Internet, a diversos níveis, ocorre em 1990 quando um investigador do CERN (Conseil Européen pour la Recherche Nucléaire, actualmente Organisation Européenne pour la Recherche Nucléaire ), Tim Berners-Lee cria o protocolo HTTP (Hypertext Transfer Protocol). O CERN lança a World Wide Web também conhecida com o acrónimo WWW, W3 ou, simplesmente, Web.

A WWW é na verdade um novo serviço sobre a infraestrutura já existente da Internet. Com este novo serviço, surgem os primeiros navegadores da Internet (browsers), como o Mosaic que mais tarde daria origem ao Netscape Navigator. Ao longo do resto década regista-se um crescimento exponencial de utilização da Internet que deixa de estar restrita ao mundo académico para passar a estar presente também no mundo empresarial e também com a possibilidade de acesso doméstico. São lançados novos navegadores e surgem os motores de busca. As empresas e organizações começam a ter presença na web, seja porque sentem essa necessidade e estão conscientes das oportunidades seja por simples adesão a um fenómeno de moda. São criadas empresas cujo negócio assenta na totalidade na Internet. A expressão “Nova Economia” é usada para designar estas novas empresas e a forma como a Internet iria alterar o modo de fazer negócios, em que nada seria como dantes.

A euforia da Nova Economia leva a que grandes investidores apostem nas novas empresas da Internet na convicção que o seu grande potencial de valorização se viria a concretizar. Uma empresa cujo nome tivesse o prefixo “e” ou o sufixo “.com” é de imediato associada a grandes rendibilidades futuras. Mesmo empresas já existentes começam a colocar “.com” no final do seu nome ou a criar subsidiárias com nomes que o incluam. O índice das empresas tecnológicas da bolsa de Nova Iorque (NASDAQ) ganha destaque e as operações de bolsa com as empresas tecnológicas atingem valores elevados. Este periodo ficou conhecido por “dot com bubble” (a bolha das .com, entre 1995 e 2001) devido à forma gráfica da evolução do índice NASDAQ. Este índice atinge o seu máximo em 10 de Março de 2000 (5.048,62 pontos) entrando de seguida numa queda abrupta. Existem várias explicações para esta correcção que provocou o fim deste período de euforia. As novas empresas tecnológicas implicaram nalguns casos investimentos elevados, sem lucros nos primeiros anos e apenas com uma promessa de ganhos futuros. Muitas empresas fizeram também correcções face às despesas que o então temido problema do ano 2000 implicou (Y2K). De uma forma geral, havia a consciência por parte dos investidores que as novas empresas tecnológicas estavam sobrevalorizadas. Os atentados terroristas em Nova York em 11 de Setembro de 2001, com a consequente instabilidade gerada na ordem mundial, puseram um fim definitivo no entusiasmo que a Nova Economia tinha gerado.

O período de incerteza que se vivia em finais de 2001 não impediu a Apple de lançar, em Outubro desse ano, um produto de sucesso: o iPod, um leitor portátil de audio e video.

Os primeiros anos deste século, após a correcção que o fim da bolha das .com implicou, revelaram sobretudo preocupações com a segurança na Internet. Ocorreram diversos ataques de vírus informáticos e a cada vez maior dependência da Internet para empresas, organizações e para os próprios estados colocaram o foco na segurança informática. As empresas sobreviventes da Nova Economia, como a Amazon ou o eBay, atingiam cada vez maior notoriedade apesar de muitas não apresentarem lucros. Novas empresas com negócios assentes da Internet continuavam a surgir, embora de forma mais discreta.


Nestes anos dicutiam-se fenómenos como a distribuição gratuita de música em redes P2P (peer-to-peer) e as questões legais que isso implicava. A tecnologia de redes continuou a evoluir rapidamente generalizando-se os acessos de banda larga e as redes sem fios. O acesso à Internet passa a ser também possível a partir de telemóveis e de PDAs. Começam a aumentar as vendas de computadores portáteis. A meio da primeira década deste século e apesar das contrariedades dos dois primeiros anos, a Internet era uma realidade presente em quase todo o mundo. Esta realidade, ubíqua e generalizada, estava presente na forma como as pessoas se relacionavam, faziam negócios, estudavam e contactavam com os seus governos.

Estas mudanças fechavam um capítulo da história da Internet, o da Web 1.0 e iniciavam o capítulo da Web 2.0.

No comments:

Post a Comment