Thursday, April 26, 2012

VIM Adventures: Using VIM Editor

Apesar de me ter chegado como um exemplo de aplicação de gamification na educação e formação julgo que é mais um exemplo de um serious game. Trata-se de VIM Adventures, um jogo cujo objetivo é fornecer aos seus utilizadores as competências necessárias para usar o editor de texto VIM

O VIM é uma versão melhorada do conhecido (pelo menos, para alguns) editor vi (de visual editor, criado em 1976) dos sistemas Unix. Estes editores têm a particularidade de funcionarem essencialmente em linha de comando tendo sido desenvolvidos num tempo em que as interfaces gráficas dos sistemas operativos eram inexistentes. Assim, o teclado serve para inserir os caracteres do texto em edição e para fornecer comandos ao sistema. Por exemplo, a tecla "x" tanto serve para inserir o carácter "x" como para ativar o comando que permite apagar um carácter na posição onde estiver o cursor. O vi tinha assim dois modos de funcionamento: modo de edição e modo de comando. Passava-se do primeiro para o segundo premindo a tecla ESC. Entrava-se em modo de edição, por exemplo, com o comando "i" (insert).


Uma das dificuldades na utilização do vi era a movimentação do cursor. As teclas com as setas do cursor (esquerda, direita, para cima e para baixo) não funcionavam sendo o movimento conseguido com as teclas "h", "j", "k" e "l" (em modo comando). Quem teve de ensinar alguém, habituado a usar sistemas com interface gráfica, a usar o vi, sabe as dificuldades e as resistências iniciais perante as suas particularidades.

O jogo destina-se portanto a ensinar o uso dos comandos do VIM começando pelo movimento do cursor. Para tal, o jogador tem de percorrer um labirinto usando as teclas "h", "j", "k" e "l". À medida que o jogador progride no labirinto vai conhecendo outros comandos e apenas consegue passar para o nível seguinte depois de dominar uma determinada competência.


Qual a razão deste tipo de editores ainda existir? Porque estão presentes em todos os sistemas Unix/Linux. Com a prática, acabam por ser ferramentas bastante úteis para editar scripts e outros ficheiros de texto de configuração dos sistemas operativos.

No comments:

Post a Comment